​​​​​​​


Tom Correia nasceu na Bahia, em Salvador. Jornalista, escritor e fotógrafo, desde os anos 1990 está envolvido de alguma forma com o registro de imagens. Há alguns anos passou a se dedicar também à fotografia de rua e às suas variações. Em 2015, ganhou um prêmio de residência artística do Instituto Sacatar/Funceb e a experiência foi fundamental para que ele retomasse as narrativas visuais. No ano seguinte, foi convidado a integrar o conselho diretor do próprio Sacatar e fez parte de um GT de processos contemporâneos em Artes Visuais do Museu de Arte Moderna da Bahia. Entre janeiro e março de 2017, morou em Lisboa para desenvolver Breve cartografia do silêncio, projeto de residência fotográfica selecionado por edital de mobilidade artística da Secult Bahia.
Sua trajetória em Literatura foi iniciada em 2002, quando ganhou o Prêmio Braskem com Memorial dos medíocres. Depois lançou Sob um céu de gris profundo e participou de diversas coletâneas, a exemplo de As baianas e 82: uma copa, quinze histórias, além de integrar a antologia Wir sind bereit, a convite da editora alemã Lettrétage. Foi selecionado para o segundo volume de Autores baianos: um panorama e lançou Ladeiras, vielas & farrapos, seu terceiro livro individual de contos. É autor da grande reportagem impressa Vidas suspensas - os descaminhos de pessoas desaparecidas em Salvador. Em 2017, foi o curador da 7ª edição da Festa Literária Internacional de Cachoeira - Flica.